Melhor Futebol do Mundo

CAS cancela suspensão e Manchester City estará na próxima Liga dos Campeões

Decisão dá tranquilidade ao clube e coloca UEFA e Fair-Play Financeiro em xeque

Por Fred Caldeira

Guardiola estará na Liga dos Campeões no último ano do atual contrato com o Manchester City

Guardiola estará na Liga dos Campeões no último ano do atual contrato com o Manchester City

Sinal verde - ou azul - para o Manchester City na Liga dos Campeões. No sábado, com a goleada de 5 a 0 para cima do Brighton na Premier League, o time conquistou matematicamente a vaga para a próxima Champions League. Fora de campo, a vitória definitiva veio nesta segunda-feira: a Corte Arbitral do Esporte (CAS) cancelou a punição imposta pela UEFA, que suspendia o clube por duas temporadas da competição.

O tribunal entendeu que a maior parte das acusações ao clube foram inconsistentes ou estavam prescritas, aplicando apenas uma multa de 10 milhões de euros por considerar que o Manchester City não colaborou com as investigações da UEFA. Por meio de notas oficiais, as duas partes se manifestaram. O clube diz que "interpreta a decisão como uma validação da própria posição", enquanto a entidade reitera a importância do Fair-Play Financeiro (FFP) como proteção aos clubes.

Sheikh Mansour (ao centro) em rara aparição no Etihad Stadium

Em fevereiro, a UEFA havia anunciado a punição com base na investigação conduzida pelo núcleo de controle financeiro da entidade. A suspensão - maior punição possível - e uma multa de 30 milhões de euros tinham como base "graves infrações" do clube às regras do FFP ao supostamente disfarçar como patrocínio parte dos investimentos dos donos do clube. O dono do Manchester City, Sheikh Mansour bin Zayed al-Nahyan, é membro da família real de Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos, país-sede da companhia aérea Etihad, principal patrocinadora do clube inglês. O Manchester City, em nota oficial à época, disse que as acusações eram "inteiramente falsas".

A decisão do CAS deixa o clube navegando em águas mais tranquilas. Além de evitarem um prejuízo estipulado em mais de um bilhão de reais com a suspensão de duas temporadas, os Cityzens podem seguir atraindo grandes jogadores no mercado de transferências e têm mais tranquilidade para manter as estrelas do elenco. Em maio, Kevin De Bruyne disse à imprensa belga que "dois anos poderia ser um período muito longo".

Com a vaga garantida para o Manchester City na Liga dos Campeões, a briga dentro da Premier League pelos dois lugares restantes fica ainda mais acirrada. Chelsea, Leicester, Manchester United, Wolverhampton e Sheffield United têm mais três rodadas para perseguirem o sonho europeu.

Comentários