Melhor Futebol do Mundo

CR7 detalha mudança de mentalidade que o tornou goleador: 'É a coisa mais importante'

Português elegeu bicicleta contra a Juventus como gol mais bonito da carreira, destacou importância do psicológico e admitiu que sente a idade

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Cristiano Ronaldo tentou explicar como se tornou o jogador que é hoje(Getty Images)

Cristiano Ronaldo tentou explicar como se tornou o jogador que é hoje | Getty Images

Desde que surgiu para o mundo como estrela mundial, com a camisa do Manchester United, o português Cristiano Ronaldo mudou bastante seu estilo de jogo. De jogador considerado espalhafatoso por conta dos dribles, se tornou um verdadeiro artilheiro, destroçando recordes e sendo um dos maiores goleadores de sua geração. Para ele, a mudança se deu por conta da sua mentalidade.

Já sabe onde assistir aos jogos da Champions League? Assista a TODOS os jogos no EI Plus! 

Em longa entrevista à 'France Football', Cristiano falou sobre sua carreira e, claro, sobre o fato de ter chegado aos 700 gols (agora são 701). Ainda aproveitou para explicar a sua transição de deixar de ser um ponta driblador para se tornar um goleador, destacando que não teria se tornado o jogador que é sem trabalhar.

"Com 19 ou 20 anos, comprendi que o futebol é dos números, dos títulos e dos recordes, não somente das jogadas no gramado ou dos dribles. Se você quer ser bem sucedido em vencer qualquer coisa, precisa marcar. Fazer gols é a coisa mais importante do futebol, depois da vitória de sua equipe, mas ambos estão ligados."

Quando comecei, eu driblava, fazia um espetáculo, passando os pés por cima da bola. Mas percebi que isso não era suficiente. Que eu precisava marcar gols. Tive a chance de, em Manchester, ter grandes jogadores ao meu lado, que me fizeram compreender isso e me ajudaram a melhorar.  Se você for um pouco inteligente, você observa e pega como exemplo o que se tem de melhor. Foi o que eu fiz no Manchester com Giggs, Scholes, Van Nistelrooy, Rio Ferdinand. Se você não aprende com esses caras aí, você é um imbecil."

Apesar de ter passado a valorizar mais os gols, Cristiano Ronaldo admite que não consegue se lembrar de todos que marcou e brinca que isso acontece justamente por terem sido muitos. De qualquer modo, elegeu a bicicleta contra a Juventus como o mais belo de todos.

"Não, de jeito nenhum. Foram muitos! Mas se você me mostrar os vídeos, eu com certeza vou lembrar. É difícil dizer [qual é o mais bonito], porque o último é sempre o mais importante. Mas se me obriga a escolher, digo que foi o gol contra a Juventus, porque foi um gol que consegui marcar depois de muitos anos. E aconteceu num momento crucial, num jogo importante, contra uma grande equipe e um goleiro excepcional, Buffon. Foi incrível."

Quando questionado sobre os defensores que lhe deram mais trabalho, o atacante preferiu falar dos sistemas defensivos contra quem jogou, indicando que não gosta de ver um futebol retrancado.

"Eu não gosto de jogar contra as equipes que 'estacionam o ônibus' na frente do gol. O futebol, para mim, não é isso. Não é para ir para o estádio com medo de jogar e medo do adversário. É somente meu ponto de vista, não uma crítica. Eu compreendo que cada um jogue de maneiras diferentes, mas como ganhar quando você não tenta?"

Cristiano Ronaldo
Cristiano Ronaldo destacou mudança de mentalidade que o tornou um goleador (Foto: Tullio M. Puglia/Getty Images)

É comum que, cada vez mais, os jogadores de futebol profissional se importem com a condição física. Até porque, com a evolução da tecnologia e o passar dos anos, fica sempre mais fácil potencializar os atributos físicos de um atleta. Para Cristiano Ronaldo, entretanto, também é fundamental trabalhar o psicológico.

O português afirma que sua intenção é se aproximar da perfeição, ainda que isso seja impossível. Para tanto, também trabalha os aspectos mentais de seu jogo, incluindo sessões de yoga e meditação.

Trabalhei em tudo, no plano físico e mental. Mesmo se a perfeição não existir, quero ser um jogador perfeito. Há quatro ou cinco anos, quando fui pai, me dei conta de que cometi um grande erro: não gostava da escola e não aprendi o que devia ter aprendido. Meus filhos me deram essa vontade. Hoje, tenho muita vontade de me educar, de ler muito. Leio livros sobre yoga, sobre meditar e faço de 15 a 20 minutos. Funciona mesmo. Ela [a meditação] me acalma e me dá muita serenidade."

Próximo de completar 35 anos, Cristiano Ronaldo admitiu que sente o peso da idade relativamente avançada - para um jogador de futebol de alto nível - mas também deixou claro que busca sempre se manter competitivo.

"Sim, é lógico, todo mundo envelhece. Você pode ser um velho jovem, se é que me entende. A expectativa de vida de um homem hoje é de 82,5 anos, mas a partir dos 65 as pessoas começam a perder a memória, se esquecer do nome dos filhos, tomar remédios. Você vive mais velho, mas a qualidade de vida não é a mesma. Minha ideia é continuar jovem enquanto envelheço, competitivo. Me fala um jogador com a minha idade, que tenha o mesmo desempenho que eu, jogando em um clube como a Juventus? É muito difícil."

Por fim, Cristiano também disse que vai se abstrair da vida pública depois que pendurar as chuteiras. Quando questionado se realmente faria isso, foi categórico em apontar que, depois de anos se cuidando e preocupado consigo, vai poder finalmente relaxar. E mesmo assim, voltou a rejeitar a ideia de se aposentar em breve.

É certeza. Faz 15 anos que faço sacrifícios, que me dedico à minha carreira. Depois disso, vou apreciar o que fiz, mas mais ainda o que farei: aproveitar meus amigos, minha família, ver meus filhos crescerem e estudarem. Aproveitar o presente. Transmitir minha experiência de vida. Mas não imediatamente. Acho que ainda posso dar muito."

 

Depois de atingir os 700 gols e quebrar mais uma meta individual, Cristiano Ronaldo agora tem de tentar mais um triunfo coletivo: conquistar a Champions League com a Juventus.

 

Comentários