Melhor Futebol do Mundo

Chiellini diz que falta de Sergio Ramos em Salah na final da Champions de 2018 foi 'golpe de mestre'

Seguem as declarações polêmicas do zagueiro da Juventus em sua autobiografia. Italiano disse que sem Sergio Ramos em campo, o Real Madrid é 'inofensivo'

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Lance polêmico envolvendo Sergio Ramos na final de 2018(2018 Getty Images, Getty Images Europe)

Lance polêmico envolvendo Sergio Ramos na final de 2018 | 2018 Getty Images, Getty Images Europe

A autobiografia de Giorgio Chiellini continua dando o que falar. Em suas páginas, o zagueiro da Juventus criticou Balotelli e Felipe Melo, revelou que Arturo Vidal sofre de problemas com álcool, e agora surge mais um personagem: o zagueiro Sergio Ramos.

Segundo o italiano, o defensor do Real Madrid é o melhor do mundo em sua posição. Chiellini disse, inclusive, que o lance envolvendo o espanhol e o atacante Salah, do Liverpool, foi uma "jogada de mestre". Na jogada, ocorrida na final da Champions League de 2018, o egípcio acabou deixando a partida com uma fratura no braço.

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

"Sergio Ramos sabe ser decisivo em jogos importantes, com intervenções além da lógica, inclusive provocando lesões com astúcia quase diabólica. O lance de Salah foi um golpe de mestre. Ele, o mestre Sergio Ramos, sempre disse que não, que não fez por querer, mas estava consciente de que caindo daquela maneira, e sem deixar de agarrar, nove em dez vezes você pode quebrar o braço do seu adversário", escreveu Chiellini sobre o lance.

Ainda segundo o italiano, quando está sem Sergio Ramos, o Real Madrid é um time inofensivo. Chiellini usou como exemplo a derrota para o Ajax, na Champions League, na temporada passada.

"Sem Sergio Ramos, estrelas como Varane, Carvajal e Marcelo parecem meninos das categorias de base. O Real Madrid vira um time inofensivo. Contra o Ajax acabou suspenso porque é uma pessoa autêntica: disse que na vida existem escolhas, e teve a franqueza de ter procurado o cartão amarelo para estar zerado nas quartas de final. Com ele no Bernabéu, podem estar certos de que o Real Marid não teria perdido por três gols de diferença".

 
Xavi e Iniesta: a trajetória de dois gênios do futebol mundial
Comentários