Melhor Futebol do Mundo

EXCLUSIVO: Com campeonato encerrado, saiba como o PSG monitora jogadores à distância

Chefe do departamento de prevenção e performance do Paris Saint-Germain, Bruno Mazziotti atualiza forma física de Neymar e detalhou como funciona a preparação física dos atletas nesse contexto tão diferente

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Jogadores do PSG, como Neymar, ainda não retornaram aos treinos(PSG)

Jogadores do PSG, como Neymar, ainda não retornaram aos treinos | PSG

Já campeão francês e sem previsão de retorno das atividades no CT por conta da pandemia do novo coronavírus, o Paris Saint-Germain conta com um protocolo de atividades e monitoramento à distância para acompanhar os atletas com treinos, alimentação e até controle do sono.

Em entrevista exclusiva ao Esporte interativo, Bruno Mazziotti, chefe do departamento de prevenção e performance do PSG, explica como é o trabalho e a dificuldade de lidar com jogadores espalhados pela América (Neymar, Thiago Silva, Keylor Navas, Cavani) e Europa.

Confira a seguir a entrevista completa:

Esporte Interativo: A decisão de encerrar a temporada na França foi precipitada? 

Bruno Mazziotti: Eu não acho que seja precipitado, não temos precedente na história do futebol atual com algo tão importante como essa pandemia. O que norteia as autoridades atualmente é a saúde da população, e o jogador faz parte dessa população. Se existe risco para esses atletas e quem trabalha com eles, a decisão de parar o campeonato é correta e cabe aos clubes aceitar a decisão e cria estratégias para a nova temporada.

 
Bruno Maziotti, chefe do departamento de prevenção e performance do PSG, fala sobre cancelamento da Ligue 1

EI: O PSG foi declarado campeão. A classificação final é justa?

BM: "Não sei como as regras são feitas. Acredito que os clubes foram consultados e a decisão foi baseada em vários fatores. PSG vinha fazendo um campeonato com larga vantagem de pontos, não contesta-se o título do clube. Mas eu não me sinto competente nem confortável para dizer algo diferente disso. Temos que respeitar a decisão que visa o bem de todos."

Estamos falando do campo desportivo, mas imaginemos que o campeonato tivesse recomeçado e um atleta viesse a óbito por conta da COVID-19? Lógico que alguns (clubes) vão ficar chateados, mas prefiro vir aqui falar do esporte e não de alguma perda de vida."

EI: Como funcionam os treinos à distância?

BM: "A premissa do treino físico é a individualização dos treinos. Em nenhum momento em anos anteriores, nenhum atleta ficou parado por mais de dois meses. Neste momento, o profissional da saúde, da área física e técnica, tem que se reinventar para descobrir qual a melhor estratégia utilizada.

A premissa que nos orientam nesse momento é cuidar da saúde do atleta como um todo: na questão mental, na qualidade do sono, em um controle de ansiedade. A partir disso, o nosso objetivo é individualizar o trabalho com esses atletas e ir monitorando. Temos uma programação feita junto com a preparação física e enviada para os jogadores.

 
EXCLUSIVO: Bruno Mazziotti fala sobre trabalho à distância com jogadores do PSG

O feedback deles é muito bom e temos uma condição muito privilegiada pois muitos dos nossos jogadores tem a condição de treinar em casa e isso facilita. Como isso vai ficar em alguns meses ou em alguns dias? Não sabemos. A partir da retomada das atividades, vamos começar a descobrir para mensurar de fato o que foi impacto na saúde fisica dos atletas e no desempenho. 

A tecnologia nos dá possibilidades. Existe a chance de descobrir novas maneiras de monitorar esses atletas. Eles são profissionais, se o calendário ainda não acabou, tenha certeza que eles estão focados nos objetivos do clube. Eu tenho certeza disso. Temos atletas na França, na América do Sul, e temos que monitorar tudo isso."

EI: Muitos jogadores têm se machucado na volta aos treinos na Europa. Como o PSG pensa nessa questão?

BM: No PSG tivemos a possibilidade que todos os atletas saíssem para a quarentena sem lesões, e isso é um facilitador. Não temos como definir a condição de lesões nesse momento. Alguns clubes já encerraram suas atividades nos seus calendários. No caso do PSG, ainda temos a Champions League, não teríamos um número de jogos tão volumoso e isso nos ajuda. Os clubes que vão disputar a fase final dos campeonatos nacionais terão jogos condensados em um curto período. Ainda não temos uma data para retornar ao centro de treinamento.

 
Di María relembra seus melhores momentos na Champions

EI: Alguns clubes saem na frente?

BM: A dinâmica é avaliar, entender o momento que estamos e traçar estratégias. Quanto tempo será necessário, vai depender do objetivo de cada clube. Já vemos agora o Dortmund com alguns desfalques, que têm a ver com condição física. O que não pode acontecer é o atleta se lesionar para a temporada seguinte. Qual clube leva vantagem, definitivamente não é possível saber, pois vai depender da demanda necessária e da capacidade dos atletas para o momento atual que eles vão apresentar no retorno.

EI: Existe uma estimativa do tempo necessário de preparação para voltar a jogar?

BM: Já estamos com dois meses de férias, o que normalmente é um mês. Devido às restrições, fazer treinos de intensidade moderada só pra manter a performance não é algo comum. Não dá pra saber qual o tempo necessário para voltar. Estou muito curioso para saber quais serão esses desdobramentos quando os atletas retornarem.

EI: O trabalho feito até a parada é perdido? 

BM: Se o atleta se cuidou mais, certamente as perdas são menores. Atletas que não tiveram tanto cuidado, as perdas serão maiores e o tempo de recuperação também. Falamos sempre isso do bem-estar dos atletas, monitorando período de sono, estresse. Lembrando que existe uma recomendação das autoridades para que a gente não estresse o metabolismo dos indivíduos. Como não sabemos muito sobre a COVID-19, temos que nos preocupar com a saúde deles.

EI: Como está sendo a preparação de Neymar?

 
Confira os melhores momentos da vitória do PSG sobre o Borussia Dortmund!

BM: "A equipe pessoal do Neymar trabalha alinhada com o PSG. Ele está ativo, porque eu sempre falo com o staff dele. O Neymar é um atleta que precisa estar de forma física muito bem alinhada. E é isso que a gente vê dele, ele tem todas as qualidades e não tem impedimento nenhum para apresentar uma performance." 

Eu particularmente acho um atleta com um nível muito diferente, e sorte a nossa que ele joga no PSG. Ele vem mantendo uma rotina que é feita e alinhada com o PSG e com a equipe que trabalha com ele e isso vai facilitar o retorno. Ficamos na expectativa que todos os jogadores possam repetir o mesmo desempenho que estavam apresentando antes da parada."

Comentários