Melhor Futebol do Mundo

Ele custou R$ 120 milhões ao Barcelona e foi 'o mais cobiçado do mundo', mas acabou preso, suspenso e agora sairá de graça

Turco Arda Turan viveu o ápice e o "fundo do poço" da carreira em questão de cinco anos; jogador chegou a ser oferecido a clubes brasileiros

Avatar del

Por Leonardo Ferreira

Arda Turan deixará o Barcelona de graça no meio deste ano(Getty Images)

Arda Turan deixará o Barcelona de graça no meio deste ano | Getty Images

A vida de Arda Turan viveu uma verdadeira montanha-russa nos últimos cinco anos.

Em 2015, o turco chegava à janela de transferências de verão - a mais movimentada da Europa - possivelmente como o jogador mais cobiçado do mercado àquela altura.

Em temporadas anteriores, ele havia sido um dos principais nomes do renascimento do Atlético de Madri para o cenário mundial, conquistando títulos do Campeonato Espanhol (2013/14), Supercopa da Espanha (2014/15), Copa do Rei (2012/13), além do vice-campeonato da Uefa Champions League em 2013/14.

Seus lances mágicos com a camisa 10 colchonera, aliados aos gols e às assistências, chamaram atenção de diversos clubes gigantes do futebol europeu, dentre eles Manchester United, Chelsea, Paris Saint-Germain, Milan e Barcelona. E foi justamente o clube catalão que venceu o duelo peso-pesado por Turan.

Em julho de 2015, o Barça abriu os cofres e pagou 35 milhões de euros (pelas cotações da época, cerca de R$ 120 milhões) pelo meio-campista, mesmo não podendo inscrever jogadores por conta de uma punição da Fifa. A ideia era que, a partir de janeiro de 2016, Arda Turan fosse o substituto ideal de ninguém menos que Xavi Hernández, um dos maiores idolos da história blaugrana e que havia definido sua saída para o futebol do Catar.

Problemas e mais problemas...

No entanto, toda a expectativa depositada na cara contratação foi em vão. Após 55 jogos e só 15 gols marcados, Turan acabou emprestado pelo Barça ao Basaksehir, de seu país natal, por mais de duas temporadas. Depois disso, a carreira do experiente jogador foi só ladeira abaixo.

Em maio de 2018, o astro pegou um duro gancho de 16 partidas por ter empurrado um bandeirinha em jogo contra o Sivasspor, o que configurou a maior suspensão do futebol da Turquia.

Neste mesmo ano, em outubro, Arda Turan se envolveu em nova confusão, mas, desta vez, extra-campo. O meia iniciou uma briga com o cantor turco Berkay Sahin em um bar em Istanbul, uma das principais cidades do país. Ele teria assediado a esposa do artista e os perseguido no caminho do hospital, realizando um disparo com uma arma, sem deixar feridos.

Em 2019, a Justiça da Turquia decretou que Turan seria condenado a dois anos e oito meses de prisão, mas sem necessidade de cumpri-los efetivamente, a menos que fosse reincidente no caso. O Basaksehir optou apenas por multar o atleta em 370 mil euros (cerca de R$ 1,6 milhão à época).

Desemprego e vinda ao Brasil

Agora, a vida do jogador é uma verdadeira incógnita. Com seu contrato por se encerrar em 30 de junho e na maior baixa de sua carreira, Arda Turan deverá iniciar a próxima temporada desempregado.

Pensando nisso, ele já pensa até em se arriscar em novos mercados futebolísticos, inclusive o brasileiro. Segundo informação do jornal 'O Globo', confirmada pelo Esporte Interativo, o turco assinou uma autorização formal junto à empresa 'You First Sports', comandada por Marcos Marinho e os ex-jogadores Guilherme Siqueira e Sávio, para negociarem em seu nome uma transferência para clubes do Brasil.

Resta saber, agora, quem vai querer herdar o "problema"...

Comentários