Melhor Futebol do Mundo

Peres estranha rendimento ruim de Bryan Ruiz no Santos: 'Não sei se é macumba'

Presidente santista foi o responsável por contratar costarriquenho após a Copa do Mundo de 2018

Avatar del

Por Redação do Esporte Interativo

Bryan Ruiz jogou apenas 13 vezes pelo Santos desde 2018(Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC)

Bryan Ruiz jogou apenas 13 vezes pelo Santos desde 2018 | Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

Bryan Ruiz chegou ao Santos no meio de 2018 cercado de expectativas após disputar a Copa do Mundo da Rússia pela seleção da Costa Rica. Seu desempenho dentro de campo e os problemas físicos, no entanto, vêm transformando sua passagem pelo clube em um retumbante fracasso.

Responsável pela contratação do gringo, o presidente José Carlos Peres se exime da culpa e diz que foi o próprio atleta quem declarou não ter se adaptado ao estilo de jogo do Peixe, principalmente no ano passado, sob o comando de Jorge Sampaoli.

"Bryan Ruiz não deu certo no Santos. E não foi culpa do Santos. Ele não conseguiu se firmar dentro do clube. Quem pediu ele foi Jair Ventura, quando Jair saiu chegou o Cuca. Cuca disse de cara que não queria estrangeiro, deu uma queimada. Falamos para se esforçar, depois pedi chance a Sampaoli. Mas está micado, não sei se é macumba e homem também não quis. Não tem como tocar para frente", disse o mandatário, ao "Blog Soul Santista".

Sabe tudo de futebol e quer provar que é um dos maiores torcedores do seu time? Clique aqui e baixe agora o Fanáticos! É grátis!

"É um esforço pessoal também. Quero que seja feliz, temos que respeitar, mas não foi bem. Em momento nenhum se esforçou mais do que devia. Conversei com o Sampaoli e pedi oportunidade. No primeiro dia, ele falou que não aguentava o ritmo dos treinamentos pela dor nas costas. E não jogou mais. Tem que jogar até de muleta para dizer que tem vontade. Temos que mostrar vontade no trabalho", completou.

Até aqui, Bryan Ruiz atuou apenas 13 vezes em quase dois anos de Santos. Seu contrato vai até o final de dezembro e ele ainda não rescindiu com o clube porque possui direitos de imagem atrasados a receber.

"Tentamos fazer a rescisão por várias vezes. Estamos na briga para rescisão amigável, mas senta na lei ruim para os clubes, de pagar até o fim do contrato e todos os direitos da CLT. Antigamente era 50%, agora indenização é 100%. Isso é responsável por 90% dos processos trabalhistas. Clube deve direitos de imagem para ele. Alguns meses. Luvas não tem, é mais salário. E não é R$ 600 mil como falam, é pouco mais da metade disso", concluiu Peres.

 
Andreas Pereira volta a demonstrar vontade de 'encerrar a carreira' no Santos
Comentários