Melhor Futebol do Mundo

Presidente do Barça explica conversa com Messi para reduzir salários

Em entrevista à Catalunya Radio, Josep Maria Bartomeu disse que o capitão mostrou pre-disposição a reduzir seus ganhos desde o primeiro momento

O presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, concedeu uma entrevista à Catalunya Radio explicando a situação financeira do clube e seus desdobramentos por conta da crise do novo coronavírus.

Bartomeu revelou que no dia 20 de março teve uma conversa com os capitães da equipe de futebol (Messi, Busquets, Pique e Sergi Roberto) e que desde o primeiro momento os líderes do vestiário foram favoráveis à redução de seus salários. O corte de 70% do vencimento dos atletas, enquanto dura o Estado de Emergência na Espanha, impacta em 5,75% os ganhos anuais dos jogadores e irá fazer o clube economizar mais de 16 milhões de euros no período.

O presidente lembra que desde 14 de março quando o confinamento foi imposto na Espanha e todas as atividades comerciais foram fechadas, o Barcelona não tem nenhum tipo de receita. Toda a exploração do Camp Nou como entradas para o museu, bares, restaurantes, direitos de TV, bilheteria em dia de jogos e eventos no estádio foram suspensos. Sem querer citar quanto o clube deixa de ganhar sem estes fatores, a estimativa é de que a perda seja de 30 milhões de euros mensais.

O Barcelona previa uma arrecadação superior a 1 bilhão de euros na temporada. Bartomeu disse que o ritmo de receitas ia mais acelerado do que isso, até que fosse abruptamente parado pela pandemia mundial. Bartomeu espera que a crise dure no máximo 60 dias, uma vez que as medidas tomadas apenas minimizam as perdas do clube.

Relação jogadores-diretoria

Na segunda-feira, os jogadores divulgaram uma nota oficial anunciando a redução de 70% de seus salários. O primeiro a fazê-lo foi Lionel Messi que foi seguido pelos demais companheiros. O clube também divulgou uma nota com as mesmas informações, mas o distanciamento entre as partes ficou claro.

No comunicado dos atletas um trecho dizia: "Não deixa de nos surpreender que de dentro do clube exista alguém que nos olhasse com lupa e tentasse fazer pressão por algo que nós sempre tivemos claro que faríamos".

O presidente contemporizou as declarações, dizendo ter bom relacionamento com os capitães e afirma que “são dias muito tensos em nossa sociedade. Houve gente dentro do clube e fora, que não tinha toda a informação e falou demais”.

Finalmente, Bartomeu acredita que La Liga, a Liga dos Campeões e a Liga Europa devem ser finalizadas dentro de campo para o melhor de todos. E que as partidas tenham portões abertos “ainda que se tenha que esperar duas semanas ou três mais”.

Ainda não existe uma nova data para que as competições voltem a ser disputadas.

Comentários