Se você é daqueles que dá o sangue pelo futebol, aproveite e faça o teste diagnóstico da doença de Chagas. O tratamento existe, é gratuito e está disponível pelo sistema público de saúde. No Brasil, 1,2 milhão de pessoas tem a doença de Chagas, poucas sabem disso e um número ainda menor já fez o tratamento. Para ajudar a mudar esta realidade, os organizadores da Copa do Nordeste e a Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas se uniram pelo segundo ano consecutivo na campanha #vencerChagas, veiculada durante o campeonato.


“O futebol tem o poder de alcançar pessoas, não importa onde estejam, é uma forca que une a todos. E para transformar o cenário de Chagas no Brasil é preciso o apoio de todos, desde o governo e dos médicos, até os jogadores e torcedores. Faça o teste diagnóstico, Chagas tem tratamento”, alerta Michel Lotrowska, diretor executivo interino da ​DNDi América Latina. “Nosso objetivo principal hoje é aumentar o número de pacientes tratados. Mas não podemos parar por aí, queremos também melhorar os tratamentos disponíveis hoje, desenvolver remédios ainda mais eficazes e seguros”, explica.


No ano passado, a Copa do Nordeste já apoiou a causa das doenças negligenciadas, também falando de Chagas. Este ano, a campanha acontece em sinergia com a campanha 'Sangue tipo N.E.', e aproveita o fato de que muitos pacientes de Chagas são identificados nos bancos de doação de sangue do Brasil.


  • Número de pacientes no Brasil pode lotar a Arena Castelão 40 vezes
  • Chagas se trata. Quanto antes for feito o tratamento, mais eficaz ele será
  • Tanto o exame de sangue quanto o medicamento são gratuitos

  • Além dos bancos de sangue, postos e centros de saúde públicos podem realizar os testes diagnósticos, além de tirar dúvidas sobre o tratamento. Além disso, o Nordeste conta com uma rede de especialistas em doença de Chagas, como a Casa de Chagas em Recife, o Centro de Atenção à Saúde em Salvador e a Universidade Federal do Ceará em Fortaleza.


    Para diagnosticar a doença basta um exame de sangue realizado pelo SUS, nos Laboratórios Centrais de Saúde Pública. O medicamento é fornecido pelo Ministério da Saúde às Secretarias Estaduais de Saúde, que se encarregam de disponibilizá-lo às regionais e/ou munícipios. Lembrando que tanto o teste quanto o tratamento são gratuitos. A indicação de tratamento depende de avalição clínica da doença pelo médico”, explica Veruska Maia da Costa, do Ministério da Saúde.


    Sobre a doença de Chagas

    A doença de Chagas começa com uma fase inicial aguda, com duração de cerca de dois meses. A fase crônica é tardia, dura por toda a vida, e nela até 30% dos pacientes podem sofrer de danos ao coração com risco de morte e até 10% apresentam comprometimento do sistema digestivo.


    A transmissão da doença pode acontecer de quatro maneiras:

    • Pela picada do barbeiro infectado;
    • Por transfusão de sangue;
    • Da mãe para filho durante a gestação ou o parto;
    • Pela ingestão de alimentos contaminados.


    No Nordeste, ainda há registros de transmissão pelo barbeiro e por alimentos, por isso a preocupação. Os bancos de sangue realizam o teste da doença em candidatos a doação e o acompanhamento pré-natal tem identificado mulheres infectadas.


    Onde posso ser atendido para saber se tenho Chagas?


    Alguns grupos merecem especial atenção para a suspeição e diagnóstico da doença de Chagas:


    • Pessoas com história de Chagas na família, especialmente mãe e irmãos
    • Aqueles que viveram/vivem em áreas rurais, em habitações onde possa ter ocorrido contato com o barbeiro (casas de taipa, pau-a-pique, etc.);
    • Pessoas que receberam transfusão de sangue antes de 1992;
    • Pessoas que foram positivas para Chagas em triagem para doação de sangue e não fizeram os exames confirmatórios.

    Cidade/Estado Unidade de Atenção Telefone Endereço
    Recife, Pernambuco Casa do Paciente Portador de Doença de Chagas e Insuficiência Cardíaca de Pernambuco (81) 3181-7211/7214 R. Arnóbio Marquês, 310 - Santo Amaro Recife/PE 50100-130
    Salvador, Bahia Centro de Atenção à Saúde Prof. Dr. José Maria de Magalhães Netto (71) 3116-0058 Av. Antônio Carlos Magalhães s/ n – Iguatemi Salvador/BA 41820-000
    Fortaleza, Ceará Ambulatório de Infectologia do Hospital Universitário Walter Cantídio, Universidade Federal do Ceará (UFC) (85) 3366 8167 Rua Capitão Francisco Pedro, 1290 - Rodolfo Teófilo Fortaleza/CE 60430-370


    Se você não mora nestas cidades ou não pode comparecer a estes postos, procure os postos da rede pública de saúde.


    Mais informações para a imprensa:

    Julia Alapenha – jalapenha@dndi.org

    Betina Moura – bmoura@dndi.org